sábado, 18 de março de 2017



CARNE FRACA


Enquanto os homens exercem Seus podres poderes
Morrer e matar de fome De raiva e de sede
São tantas vezes Gestos naturais...

Casa cheia de amigos, aquela bagunça gostosa, risadas e boas histórias contadas enquanto o carvão em brasa aquece a grelha. Poucos momentos são tão acolhedores como esses.
O churrasco entre amigos não é uma simples refeição. É mais do que isso! A gente não come e vai embora. É um ritual, muitas vezes passado de pai pra filho. Nele, durante algumas horas, enquanto o cheiro de carne na brasa se espalha pelo ar, sem pressa, os amigos vão se servindo de pedacinhos de carne, de linguiça, de frango, e bebemoram, ao aniversário de alguém, ao time do coração, ao encontro daquele dia... tudo é motivo para "churrascar", e quando não há, a gente inventa, só pra se divertir e se deliciar, seja no campo, na praia ou na varanda do  apartamento.
O churrasco deste sábado já estava programado. O motivo era não apenas o jogo do São Paulo de logo mais, como também, os três anos (em 17/03) da maior operação anticorrupção deste país e do mundo: a Lava Jato, resgatando a credibilidade e a dignidade perdidas. Sim, amigo que é amigo, apoia e comemora a Lava Jato e também esteve junto nas Manifestações pró-impeachment.
Ontem, no entanto, a Polícia Federal não parou para comemorar a data ou quiçá tenha preferido comemorá-la da melhor maneira que sabe fazer: Deflagrou mais uma Operação, a “Carne Fraca”, e desta vez entrou com tudo na despensa da nossa casa, tostando o churrasco de sábado.
Ôxe semaninha do balacobaco esta que passou!!! 
Começou com a Lista do Janot, com 83 pedidos de inquérito contendo 107 nomes com foro privilegiado (prerrogativa de senadores, deputados e Ministros de Estado), além de na tal blacklist estarem arrolados também treze Governadores e três Ex-Presidentes, diga-se, uma lista difícil de digerir até com Engov, aiaiaiai.... Antevendo o que está por vir, nosso eficiente Congresso começou a se esmerar para criar uma lei de anistia ao Caixa2 que na verdade nada mais é do que uma anistia à corrupção e, não satisfeitos, nossos criativos parlamentares, em busca de sobrevida na política, passaram a defender eleições em lista fechada, prevendo que muitos deles serão defenestrados pelos eleitores nas urnas em 2018. Olha que lindo! E.... como se esses acontecimentos fossem poucos para nos revirar literalmente o estômago, nos deparamos com a Operação “Carne Fraca”!!!
Confesso que à medida que fui me inteirando da Megaoperação da Polícia Federal me senti fazendo parte de um filme de terror. De fato, às vezes a realidade chega a superar a ficção.
Foi com assombro e estupefação que ficamos sabendo de mais um repugnante esquema de corrupção, desta vez, envolvendo as duas maiores empresas do ramo de alimentos que operam no setor de processamento de carne bovina, suína, ovina e frango: a BRF e a JBS, com reflexos e nítido descaso pela saúde da população.
A BRF surgiu da fusão Sadia e Perdigão.
A JBS, dona da marca Friboi, cujo sócio oculto seria o Lulinha, filho do Lula, diga-se, o que nunca conseguiu ser provado. No entanto, sendo os da Silva sócios ou não, o fato é que o grupo sempre fez generosas doações às campanhas do PT e, em contrapartida, beneficiou-se e usufruiu de prestimosas linhas de financiamento do BNDES. A JBS é controladora também das marcas Maturatta, Swift, Big Frango e Seara. Uma gigante que surgiu no reinado petista e cresceu com a ajuda do Estado brasileiro, a exemplo de outras conhecidas nossas, como a Odebrecht, Oi, OGX e outros Xs (leia-se Eike Batista), hoje com seus principais executivos sob investigação e/ou presos. Falsos reinos terminam assim. Pena que eles nos arrastem junto para o cadafalso....
Quando pensamos haver visto tudo de mais escabroso que poderíamos ver, ficamos em choque ao saber que essas empresas (BRF e JBS) pagavam vultuosas propinas a Fiscais do setor Agropecuário do Ministério da Agricultura para afrouxar a fiscalização, liberar licenças e certificados permitindo a comercialização de produtos vencidos e fora dos padrões de qualidade, em detrimento da saúde do consumidor. É muito asqueroso isso!!!
Se a Lava Jato já foi o bastante para nos revoltar e indignar, a “Carne Fraca” veio para nos enojar. Os treze anos de PT no poder aparelharam e corromperam até os órgãos de Fiscalização e Vigilância Sanitária. Herança maldita mesmo!!!
As investigações e as provas são sólidas. A apuração demorou dois anos. E a divulgação que foi feita ontem, embora possa parecer precipitada para alguns, era necessária. A população, o consumidor, tinha que ser alertado, independente da repercussão negativa que possa haver ou tenha havido no mercado internacional e até na Bolsa de Valores. Neste caso, a saúde pública deve vir sempre em primeiro lugar. Além do mais, é sabido que o mercado internacional não deve se alarmar ou ficar aflito. A carne que foi exportada era de boa e excelente qualidade; a carne podre, estragada e os restos das vísceras é que ficaram aqui para serem comercializados. 
As investigações em torno das irregularidades começaram com a denúncia encaminhada à Polícia Federal por um servidor do Ministério da Agricultura, que não compactuou em participar do esquema de corrupção e por isso mesmo foi afastado do setor. Ele delatou que a carne da merenda das escolas estaduais do Paraná, estava adulterada. Ao invés de carne de peru, as crianças estavam comendo produtos vencidos, estragados e com componentes cancerígenos.
A partir disso e ao longo de dois anos, a investigação se ampliou e das escolas estaduais do Paraná, chegou às gôndolas dos supermercados de norte a sul, de leste a oeste. E veio a constatação estarrecedora: nas prateleiras e açougues do país havia carnes adulteradas com prazos de validade vencidos e maquiadas com produtos proibidos por lei; carnes podres, vencidas e estragadas estavam sendo tratadas com ácido ascórbico (altamente cancerígeno) para ocultar o gosto e o mau cheiro, linguiças sendo recheadas com cabeças de porco, produtos vencidos sendo re-embalados, com a conivência de Fiscais do Ministério da Agricultura, regiamente recompensados. É de pasmar!!!

Ao mesmo tempo, é desolador saber que apesar de pagarmos caro pelo que consumimos e de termos o cuidado de olhar o prazo de validade nas embalagens, estamos sendo enganados e envenenados aos poucos pela ganância de alguns.... são a carne podre, os agrotóxicos, os transgênicos, o peru com salmonela, o leite com soda cáustica, o embutido empapelado, o pelo de rato no extrato de tomate... São as doenças entrando pela boca. É o descaso. É a não valorização da vida....
Conforme apurou a Receita Federal, que também atua na investigação, os Fiscais que nada fiscalizavam, montaram redes de fast food (imagine os hambúrgueres!) e compraram imóveis em nome de terceiros, para esconder o aumento patrimonial.
Enquanto os homens exercem seus podres poderes....         
Podres poderes.... Como diz o dito popular: quando a "carne é fraca", o homem certamente será corrompido. 

Morrer e matar de fome de raiva e de sede, são tantas vezes gestos naturais... A fraqueza ética e moral de quem por força de ofício deveria fiscalizar e não o fez tantas e tantas vezes como gestos naturais... Carne fraca a do homem diante da cobiça... Não à toa é um dos sete pecados capitais.
Já sabemos o que vai acontecer daqui pra frente, não é mesmo?
Notinha das empresas e de advogados pagos a preço de ouro dizendo que "as companhias sempre adotaram rigorosos controles de qualidade quanto à produção e comercialização de seus produtos, que nunca compactuaram com práticas ilícitas e blábláblá...". Recursos de toda ordem em todas as instâncias judiciais, até que daqui a trocentos anos alguém seja condenado e punido.
É sabido que a punição rápida e imediata é o que coíbe o ilícito, inclusive por seu caráter profilático como medida para coibir e desestimular que outros recorram a práticas iguais ou semelhantes. Mas, o nosso sistema é falho nesse sentido. As inúmeras instâncias e recursos judiciais acabam retardando em demasia as condenações e a aplicação das penas.
Enquanto isso.... o churrasco deste sábado já era. Foi adiado por prazo indeterminado.... Assistimos ao jogo comendo pipoca. Estamos pensando até em comprar uma pipoqueira nova. 

Milho parece ser o mais saudável e palatável por ora...


Enquanto os homens exercem Seus podres poderes....



Shadow/Mariasun Montañés


Licença Creative CommonsCARNE FRACA de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


domingo, 5 de março de 2017



REFORMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL OU A LEGALIZAÇÃO DE MAIS UM TRIBUTO?!?



Benedito, o seu Dito, trabalhou desde os 15 anos de idade. Quando ia para o trabalho, conheceu Guilhermina, jovem linda e formosa, que sempre estava na janela do sobrado amarelo para vê-lo passar. Não tardou, começaram a trocar sorrisos, acenos, bons dias, até que ele a convidou para ir ao cinema e nunca mais se separaram. Casaram no bairro do Bexiga. Ali tiveram seus filhos e passado algum tempo, compraram o tão sonhado apartamento, o sonho da casa própria! Economizando daqui e dali, dona Guilhemina fazendo doces para ajudar, conseguiram após longos e intermináveis anos pagar as parcelas do financiamento e quitá-lo. Ter a Escritura de Propriedade nas mãos foi um dia de Glória. Juntos, de mãos dadas, foram à Igreja da Achiropita para agradecer. Já com os filhos criados, passaram a sonhar, então, com o momento da aposentadoria para poderem viajar e passear mais. Após 30 anos trabalhando na mesma escola, seu Dito, finalmente se aposentou. O merecido descanso parecia haver chegado. Não mais ter que levantar às 5h00, não mais ter que trabalhar oito horas em pé, não mais ter que pegar o metrô lotado, não mais ter que corrigir provas e trabalhos... agora seu tempo seria dedicado à sua “Mina”, como carinhosamente costuma chamar sua mulher. No entanto, seu Dito adoeceu. Foi diagnosticado com o Mal de Parkinson. O seguro saúde dele e da dona Mina não é mais o convênio de saúde da escola, mas particular. São R$ 2.400,00 ao mês. Sua aposentadoria cabe aí. Além disso, tem as despesas com alimentação, medicação, IPTU, condomínio... os dois filhos ajudam como podem, mas um deles está desempregado. A algumas semanas foi realizada uma reunião de condomínio para aumento da taxa condominial e rateio de obras por infiltração de água na garagem em razão das chuvas. Hoje ao passar pela portaria do prédio o síndico viu uma placa de “vende-se”, do apartamento do seu Dito.

Essa é a realidade de muitos brasileiros idosos, que por sorte, conseguem chegar aos 65 anos.

Após uma vida inteira de trabalho, contribuindo para o crescimento e a economia do país, o mínimo que se espera é que possam ter na velhice uma vida tranquila, digna e decente.

Por essa razão é extremamente preocupante ouvir falar da Reforma da Previdência Social, tal como está sendo veiculada. 

Causa indignação ver que um tema tão essencial na vida dos brasileiros, esteja sendo tratado com tanto descaso, inclusive, sem se fazer antes a Reforma Tributária e Trabalhista. O direito previdenciário é um dos direitos fundamentais do trabalhador, porque tem a ver com a subsistência e a dignidade da pessoa quando esta não tem mais condições e forças físicas para continuar trabalhando em razão da idade.

Dá repulsa ver o descaso com que Rodrigo Maia e camarilha estão tratando o assunto, apenas porque a Presidência da Câmara dos Deputados foi barganhada em troca da aprovação das Reformas, ainda que à revelia da população. 

A proposta de Reforma da Previdência tal como apresentada condena pessoas como o seu Dito a morrerem trabalhando. Em seu texto visa instituir um imposto compulsório ao trabalhador, do qual pouquíssimos conseguirão usufruir.

Entenda-se. Não sou contra as Reformas, não sou Fora Temer, sou contra a Reforma Previdenciária que está na mesa para ser votada pela Câmara dos Deputados e, à forma como ela pretende ser implementada, sem a participação  dos principais interessados: a sociedade.

Quando se trata de direitos fundamentais como o previdenciário, é inconcebível que a mudança se faça a fórceps; pelo contrário, mudanças dessa ordem têm que ocorrer no tempo e de maneira escalonada, neste caso, num prazo mínimo de uns 20 anos. 

Não dá para pretender que mudanças radicais nas aposentadorias passem a vigorar a partir de amanhã, empurrando a Reforma goela abaixo da população. Ainda mais sendo votada por um Congresso onde a maioria é réu e não tem credibilidade pública. O que é isso?!?

Mas o que há de tão terrível na Reforma?


Para começar, é uma blasfêmia propor que homens e mulheres, sem distinção, passem a ter direito ao benefício a partir dos 65 anos, sem que se isso seja amplamente debatido. E o pior! Estimar aleatoriamente que para adquirir o direito à aposentadoria integral o tempo de contribuição deverá ser de 49 anos. Ora, vejamos: quem comece a trabalhar aos 20 anos com carteira assinada, somente terá direito à aposentadoria com quase 70 anos.

Pergunta-se: Quantos estarão em atividade aos 70 anos?

Se pensarmos no mercado de trabalho, é sabido que aos 50 anos uma pessoa já é considerada velha e geralmente é substituída por uma de 20 anos, cujo salário é menor e é vista com maior capacidade laborativa. Uma pessoa que trabalha no setor privado não tem a estabilidade daquela que trabalha no setor público. Ela simplesmente recebe uma carta de demissão e é orientada a passar no Departamento Pessoal, sem nem ao menos receber um agradecimento ou aperto de mão pelo tempo de serviço.


Se pensarmos nas deploráveis condições do ambiente de trabalho em que muitos ainda trabalham (usinas, carvoarias, refinarias, agricultura, caminhoneiros...), não é preciso dizer que as doenças ocupacionais se desenvolvem e a expectativa de vida em muitas localidades brasileiras não chega aos 60 anos. 

Ocorre que, na conta de projeção gastos futuros com a Previdência do Governo, estão sendo computados também esses coitados que nunca chegarão a se aposentar (que não são poucos), porque morrerão antes, pela baixa qualidade de vida e laboral que sempre tiveram. Em razão disso, os números apresentados pela equipe econômica para justificar a famigerada Reforma, são falaciosos. Aliás, o Governo diz que essa é uma questão de "matemática simples". De matemática simples, onde?!? Essa é uma questão para a ciência atuarial. Não é apenas uma conta de 2 + 2 = 65 anos e 49 anos de contribuição.

O que está sendo proposto é inaceitável. A finalidade é meramente arrecadatória para cobrir os rombos que empresas sonegadoras, políticos e fiscais corruptos causaram à Previdência. A solução encontrada é dificultar, de modo revoltante, a concessão de benefícios a quem contribuiu para o sistema com uma vida inteira de trabalho, em especial aposentadorias e pensões.

Antes de qualquer Reforma da Previdência, o Governo tem que apurar e punir com multas e penalidades pesadas os bilhões que foram e estão sendo desviados em fraudes ao INSS; inclusive muitos clubes de futebol, que tanto ganham na negociação de jogadores ao exterior, são sonegadores contumazes da Previdência.

Você sabia que filhas “solteiras” de servidores públicos têm direito a uma polpuda pensão vitalícia do pai caso não casem?  Você acha que elas casam? Somente elas representam R$ 4,35 bilhões ao ano ao país, ao país não, ao contribuinte. Pergunto eu: Não é por aí que a Reforma deveria começar?

Maitê Proença, por exemplo, é filha de um Procurador de Justiça de São Paulo, Eduardo Gallo, que morreu em 1989. Ela foi casada com o empresário Paulo Marinho, um dos donos da Rede Globo, tem uma filha com ele, é atriz contratada da Globo e, pasme, ela recebe uma pensão vitalícia do pai no valor de R$ 13 mil ao mês. O destaque aqui não é a Maitê Proença, mas as Maitês na mesma situação. Isso é acintoso!!!

E as benesses da classe política? Após oito anos o senador pode se aposentar. E se for ex Presidente então, mesmo que corrupto, ainda tem direito a segurança privada, viagens, carros e toda sorte de mordomias pagas pelo contribuinte.

Você sabia que dados de 2015, fornecidos pelo Governo, apontam que o INSS, com 99,6 milhões de participantes (contribuintes e beneficiários), gerou um déficit da ordem de R$ 78,9 bilhões; e que no mesmo ano, o Regime Próprio da Previdência Social destinado aos servidores públicos, com apenas 9,6 milhões de participantes, gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 114,3 bilhões?!? Sim, o setor público comparado ao setor privado representa um ralo de desperdício. E a Reforma está voltada para penalizar quem? O setor privado!!!

Só o fim das super-pensões pode equilibrar as contas públicas, não o coitado que trabalha a vida inteira na iniciativa privada, muitas vezes fazendo “bico” sem registro em carteira para complementar a renda. O Governo tem que parar de dar privilégios com a mão esquerda e, tirar com a direita sempre dos mesmos, beneficiando as cigarras ao invés das formigas.

Você sabia que a aposentadoria de quem nunca contribuiu para a Previdência, como os trabalhadores rurais, sai do mesmo caixa daqueles que contribuem para a Previdência? Como é que a conta pode fechar? Para que você entenda: a Seguridade Social é formada pelo tripé: Saúde, Previdência Social e Assistência Social. Nada mais lógico que os benefícios daquele que nunca contribuiu, saiam do caixa da Assistência Social e não da Previdência, ora!

Verdade seja dita, está tudo errado no sistema previdenciário brasileiro.

Sou a favor de uma Reforma da Previdência sim. Mas de uma Reforma que reduza de forma drástica os encargos sociais e trabalhistas possibilitando a criação de empregos formais, ampliando a base de contribuintes do sistema. Mas um sistema privatizado, não gerido pelo Governo, porque tudo que o Governo toca, ele destrói.

Privatizar a Previdência? Sim, PRIVATIZAR, como outros países já fizeram!!! Criar um sistema com contas individuais de capitalização, ao invés do atual modelo coletivista e socialista de repartição, obsoleto e ultrapassado.  O Estado poderia oferecer algum tipo de benefício aos mais carentes, mas aqueles que contribuíram a vida inteira com o suor do seu trabalho, teriam assegurado o que pouparam. Cada um recebendo conforme o que efetivamente poupou. O modelo coletivo beneficia apenas os privilegiados do setor público, que são os que ganham mais do que a média salarial nacional e ainda se aposentam com uma série de regalias.

O sistema que existe hoje é um sistema de espoliação sob a capa de aposentadoria coletiva e, o que se quer fazer, é instituir um imposto ao trabalhador, sob a capa de Reforma.

Chega a ser uma piada de mau gosto que os defensores da Reforma digam que em outros países a idade mínima também é de 65 anos. Sorry, mas a realidade de uma Suíça e as condições de vida e laborais está anos-luz da do Brasil. A começar, lá o aposentado não tem que pagar por um plano de saúde particular que consome sua aposentadoria, pois o Estado lhe dá assistência médica gratuita de qualidade.

Não considerar a expectativa de vida dos brasileiros na Reforma, bem como, não incluir na conta sexo, local (região), faixa de renda... é improvisar. É inconcebível que a mulher seja tratada da mesma forma que o homem, considerando que após uma dura jornada de trabalho, ela ainda tem outra com os afazeres da casa, cuidando dos filhos, do marido, da faxina, das contas a pagar, do supermercado... Antes de fixar aleatoriamente a idade mínima em 65 anos, o Governo deveria ter debatido isso com a sociedade.

Quer arrecadar mais? Onere menos os empresários para que eles passem a contratar mais. A pesada carga tributária imposta aos empregadores representa, por baixo, 50 milhões de pessoas trabalhando na informalidade, sem carteira assinada e sem contribuir para a Previdência. Quem é empresário ou microempresário sabe do que estou falando.

A proposta de Reforma da Previdência Social que está sendo apresentada é fraca, mal acabada e dissociada da sociedade brasileira. Ela retira o "SOCIAL" como direito fundamental de todos os cidadãos.  Descaracteriza a sua história, que sempre foi a de garantir a subsistência e uma velhice digna para aqueles que envelheceram trabalhando, condenando-os a viver da caridade e esmola dos filhos e de terceiros para sobreviver. Por isso sou contra a Reforma que, Rodrigo Maia, enfática e cinicamente defendeu esta semana.

Agora o Governo está veiculando uma pesada campanha paga com o nosso dinheiro $$$$, com o slogan: “Sem a Reforma da Previdência, tchau Bolsa Família, adeus FIES...”. Isso é ter-ro-ris-mo!!! Apurem-se antes as fraudes na distribuição do Bolsa-Família e do FIES. Depois a gente conversa.

Em contrapartida, o slogan de quem contribuiu durante a vida inteira para conquistar o direito de se aposentar é: Com a Reforma da Previdência, tchau velhice digna, adeus aposentadoria...”.





Está pensando na aposentadoria? Mas você ainda não completou cento e vinte anos, completou?



Shadow/MariasunMontañés


Licença Creative CommonsREFORMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL OU A LEGALIZAÇÃO DE MAIS UM TRIBUTO? de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.



domingo, 19 de fevereiro de 2017





O PAÍS DO CARNAVAL É HOJE O PAÍS DA CANA



O Carnaval é considerado por muitos o ópio do povo brasileiro. Quatro dias de folia feitos a medida para as pessoas esquecerem das dores, das mazelas da política e da sua nada mole vida. O entorpecimento tão desejado pelos políticos, avaliam sociólogos, antropólogos e estudiosos.

Ok. Mas qual é o problema das pessoas se desprenderem da dura e áspera realidade por alguns dias para fazer o que bem entenderem? Caírem na folia, descansarem ou meditarem?

Sim, o Brasil é resultado do obscurantismo. Isso a gente já sabe. Mas também é certo que o Carnaval, o BBB ou o futebol, não têm a menor culpa. A escuridão ou a luz dependem da consciência e do coração de cada um, entorpecido ou não pelo lume das falsas promessas e fantasias de uma sociedade “ideal”, condenada à miséria e à ignorância.

A história não é estanque, e nós também não somos graças a Deus! Ela anda e se modifica, e faz as pessoas andarem e se modificarem com ela.

A pirotecnia das escolas de samba do Rio, custeadas pelo crime organizado e a contravenção, por muito tempo foram o símbolo do nosso Carnaval. Varava-se a noite até o amanhecer para ver a última escola desfilar na avenida, anotando e avaliando num pedacinho de papel: harmonia, evolução, bateria, alegorias... até  o dia da apuração chegar, com a torcida sempre fiel para a escola do coração ser a campeã.

Porém, o que deveria ser do povo e para o povo, foi perdendo a sua raiz. É difícil analisar um processo de transformação tão rápido quanto o que transformou um espetáculo popular tão grandioso em um espetáculo midiático produzido para encantar o mundo e os estrangeiros. O charme de escolas tradicionais como a Mangueira e a Portela (ah... minha Portela, quando vi você passar...) foi perdendo o brilho, a espontaneidade, sua tradição e até as suas cores.

Aliás, depois que em 2015, quando o enredo da Beija Flor sobre a Guiné Equatorial, ditadura sanguinária apoiada pelo PT, sagrou-se campeã, ficou muito claro que os desfiles das escolas não representam mais o Carnaval brasileiro. Foi um espetáculo vergonhoso perante o mundo!!! O Carnaval da corrupção e da degradação do samba, uma mancha na história dos carnavais cariocas.

Hoje, os blocos carnavalescos de rua reinam soberanos, multiplicando-se pelas principais capitais e cidades do interior, resgatando a alegria e a folia popular.

A Lava Jato e as redes sociais estão aí, expondo feridas, mentiras, escândalos, corrupção, inconformismo, impunidade num batucar diário sem fim. É quando a realidade desafina e revela toda a sua crueza, mais para a dramaticidade de um tango de Gardel do que para a malevolência de um samba de Noel.

Há muito tempo não se via as pessoas tão desanimadas e descrentes neste país, destilando ódio pelas ventas e uma insatisfação incontida na net, sendo que a brasilidade do brasileiro sempre foi o riso aberto e a irreverência.

E aqui não me refiro a um riso que cega ou a uma irreverência que aliena. Não.

De um jeito sofisticado e perspicaz, o brasileiro consegue tirar sarro, rir de si mesmo, fazer piada e encontrar inspiração na dura realidade e nos sonhos roubados. 

Carnaval hoje rima com impeachment, bandido, desonestidade, impunidade, Luladrão que já é uma rima de corrupção, tudo ali, nas esquinas e em qualquer lugar. O sofrimento nacional marca cada estrofe das marchinhas.

 “Tanto riso ó quanta alegria, mais de mil palhaços no salão”...

O Carnaval mudou. Os palhaços continuam no salão, mas a alegria, ah... essa foi se transformando em ironia cáustica.

No ano passado, nada de arlequins ou colombinas, mas, o japonês da Federal com direito até a um hit que tomou as ruas do país:

“Ih, me dei mal, bateu à minha porta o japonês da Federal”!...

A folia de Momo hoje abre alas para os blocos de rua, com seu componente crítico. A diversão deixou de ser banal para ser catarse. O espírito verde-amarelo se apresenta salpicado de confete e serpentina. Algo que só o brasileiro sabe fazer com deboche e bom humor.

Os pensadores e intelectuais da objetividade, esses ainda acreditam que o Carnaval das lágrimas dos pierrôs, é o ópio do povo. Fazer o quê? Para entender o reinado de Momo é preciso acompanhar a história.

Não tem jeito. O brasileiro tem alma de folião. Por mais que batam à sua porta para lembrá-lo da Quarta-feira de Cinzas e do futuro incerto, ele até poderá, com um ar blasé, fingir que concorda, mas depois irá cair na folia. 

Portanto, é chegada a hora de vestir o short e a camiseta, desligar o computador e colocar o pé na rua ao som das marchinhas. E que marchinhas!!!

Este ano a marchinha que começa a emplacar é a da “CANA”. Não, não aquela cana que é usada para fazer açúcar, mas aquela que representa o lugar onde alguns já estão e outros em breve estarão (se a deusa da Justiça assim o permitir) com uniforme listrado, vendo o sol nascer quadrado:




“É cana pra cá é cana pra lá,
a cana tá moda, mas é bom não enganar;
tem gente poderosa, com fama de bacana,
que vai perder a pose quando entrar em cana...”


Um ótimo CARNAVAL a todos, juízo e.... para quem gosta: boa folia; para quem não gosta: bom descanso!!! 



Shadow/Mariasun Montañés


Licença Creative CommonsO PAÍS DO CARNAVAL É HOJE O PAÍS DA CANA de MARIASUN MONTAÑÉS está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...